O mais acessado!
whatsapp

(18) 99132.5461

A saída dos médicos cubanos está comprometendo o atendimento nas Unidades de Saúde de Ilha Solteira?

Sim - 58.9%
Não - 41.1%

Total de Votos: 56
The voting for this poll has ended ligado: 30 Nov 2018 - 00:00

Morada já tem a maioria das casas ocupadas e mais de mil moradores

Douglas Cossi Fagundes
Da Redação

Morada do Sol 

 

Com menos de um ano de existência, o “Morada do Sol”, construído em área anexa ao Recanto das Águas, através do programa “Minha Casa, Minha Vida”, do Governo Federal, já é um dos maiores bairros de Ilha Solteira. Dos 349 imóveis já construídos, apenas 11 ainda não foram ocupados pelos proprietários. O local já abriga mais de mil moradores.

 

E a ocupação do novo bairro aqueceu a economia local, principalmente o setor de construção civil. Boa parte dos moradores já instalou portão nas casas e está ampliando as residências. Há obras em andamento em todas as ruas.

Vanderlei Donizete da Silva, que integra a comissão de mutuários, disse que esse aquecimento só está sendo possível, porque os moradores acreditaram no trabalho que vinha sendo desenvolvido, e decidiram entrar nos imóveis mesmo sem a licença de ocupação. “Se não tivéssemos corrido atrás e garantido a liberação das chaves, mesmo sem a emissão da licença de ocupação, isso não estaria sendo possível”, disse Silva.


Serviços - Mas, com o crescimento do bairro, há a necessidade de alguns serviços públicos. Correios por exemplo, ainda não atendem o “Morada”. O serviço de telefonia fixa é inexistente, assim como internet, e a telefonia móvel (celular) é precária. “A agência dos Correios daqui já fez o pedido. Já vieram aqui fazer vistoria, mas ainda não foi autorizado. Telefone fixo ninguém tem. E o sinal de celular é horrível. Só a Claro funciona. Internet, só via rádio, de algumas empresas locais”, afirmou Silva.

Já em relação aos serviços de responsabilidade da Prefeitura, o transporte público vem funcionando. Já a coleta de lixo ainda é irregular. E não há coleta de lixo reciclável.

Também não há uma unidade de saúde no bairro. E não há previsão de quando uma será construída. Por isso, os moradores vem sendo atendidos na unidade de saúde da Avenida Brasil Norte.


Novas casas – Ainda há a previsão de construção de mais dois módulos no bairro, com cerca de 150 casas. A Prefeitura e a Caixa chegaram a fazer cerca de 90 inscrições, mas o processo teve que ser interrompido, porque a CETESB ainda não emitiu a licença de ocupação do bairro.

A expectativa é que as inscrições sejam reabertas, tão logo a licença seja emitida. A Prefeitura realizou um novo estudo da área, já entregue à CETESB, e a expectativa é que isso aconteça em breve.


O www.ilhadenoticias.com não autoriza a reprodução parcial ou integral deste texto

Os comentários postados neste texto são de inteira responsabilidade do seu autor, já que estão diretamente ligados a sua conta no facebook

Google+