O mais acessado de Ilha Solteira!

Gripe suína mata um a cada dez infectados; Região já tem 16 mortes

Douglas Cossi Fagundes
Da Redação

 

Um a cada dez moradores da região infectados pelo vírus H1N1 morre. Neste ano já são 140 pessoas diagnosticadas com a doença, e 16 delas morreram. As duas pessoas que morreram no Hospital de Ilha Solteira e os outros três que continuam internados não entram nessa lista, porque ainda não tiveram a doença confirmada, já que os resultados dos exames ainda não ficaram prontos.

 

O alto índice de mortalidade aumentou a cobrança pela antecipação da campanha de vacinação, que em Ilha Solteira só deve começar no final de abril (dia 30). Ainda não há informações sobre a disponibilidade da vacina na rede privada.

Além do número de mortes, preocupa também o fato do avanço da doença acontecer fora de época, ainda durante o verão. Geralmente, a gripe é mais comum no outono e, pincipalmente, no inverno.


População descoberta – Mesmo com a campanha, preocupa o fato de boa parte da população continuar descoberta contra a gripe, de acordo com os critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Apenas idosos a partir de 60 anos, crianças a partir dos seis meses e até 5 anos, profissionais de saúde e pessoas com doenças crônicas têm direito à vacinação gratuita.

Boa parte das pessoas que já morreram após contraírem o vírus H1N1, não fazia parte do grupo que tem direito a receber a vacina contra gripe gratuitamente.


Ilha Solteira - Morreu nesta quinta-feira (24), a segunda paciente que estava internada no Hospital de Ilha Solteira, com suspeita de H1N1, que transmite a gripe suína. A mulher, que era de Pereira Barreto, tinha 84 anos.

Segundo o médico Emanuel Zinezi, diretor técnico do Hospital de Ilha Solteira, a paciente estava com insuficiência respiratória e uma pneumopatia grave. “Mas não é possível afirmar que seja H1N1, já que os exames feitos na paciente ainda não ficaram prontos”, disse Zinezi.

O Hospital de Ilha Solteira ainda mantêm isolados os dois primeiros pacientes da cidade com suspeita de H1N1, uma de 35 anos e outra de 60. Uma, com sintomas mais agravados, está isolada na UTI, e a outra em uma ala. Só nos últimos dias, cinco pacientes passaram pela unidade com sintomas da doença, três de Pereira Barreto. Dois morreram.

Além das duas pacientes de Ilha Solteira, outros três de Pereira Barreto já deram entrada na unidade com sintomas de H1N1, dois foram transferidos, para Andradina e Araçatuba. Uma mulher morreu na sexta (18).

No dia 7 de fevereiro, Thomas Francisco dos Santos, de 32 anos, morreu após sentir os primeiros sintomas da doença durante uma viagem com a família para Ilha Solteira. Morador de Mirassol, a Prefeitura de lá considera o caso como “importado” daqui.

A região noroeste de São Paulo, onde está Ilha Solteira, enfrenta um surto da doença, com 140 casos da gripe confirmados. Dezesseis já morreram só esse ano.


O www.ilhadenoticias.com não autoriza a reprodução parcial ou integral deste texto

Os comentários postados neste texto são de inteira responsabilidade do seu autor, já que estão diretamente ligados a sua conta no facebook

Google+