ilhadenotícias - #anuncie!
whatsapp

(18) 99132.5461

Qual a sua avaliação do Governo Otávio Gomes?

Ótimo - 6.5%
Bom - 11.5%
Regular - 15%
Ruim - 17.8%
Péssimo - 49.3%

Total de Votos: 400
The voting for this poll has ended ligado: 22 Jul 2018 - 00:00

Homem é o primeiro na região preso por maltratar animal; Condenação foi de 11 meses

Douglas Cossi Fagundes
Da Redação

Cachorro ficou cego com agressão

 

O homem que agrediu o seu próprio cão em 2016, e que havia sido condenado a 11 meses e 20 de prisão em regime semiaberto, foi preso na manhã desta quarta-feira (24). Ele estava recorrendo em liberdade. É o primeiro caso na região onde um agressor vai para a cadeia por maus tratos a um animal. A prisão foi solicitada pelo Ministério Público.

 

O processo começou quando a Associação Protetora dos Animais de Ilha Solteira (APAISA) denunciou que o cão vinha sofrendo agressões há algum tempo. Vizinhos, inclusive, já haviam acionado a Polícia Militar algumas vezes e a própria entidade, que enviou representantes ao local em três ocasiões. Mas não conseguiram flagrar as agressões.

O animal, então, teria sofrido uma nova agressão que o teria deixado “desfalecido”. Ele foi socorrido e encaminhado para a APAISA. O veterinário que o atendeu disse que o cão teve fraturas na costela, maxilar e osso frontal, lesões no pulmão, na bexiga e no estômago (apresentando vômitos e urina com grande presença de sangue), várias escoriações e hematomas pelo corpo e descolamento da retina nos dois olhos, o que acabou ocasionando cegueira permanente no animal.

Na sentença, o juiz Eduardo Garcia Albuquerque revelou que Zeus (nome do cachorro agredido) não morreu porque foi resgatado em tempo. "(...) agrediu seu cachorro de maneira vil e covarde, causando lesões graves e permanentes, somente não se consumando a morte do animal por conta da intervenção de terceiros".

Durante o julgamento, o homem confessou ter agredido o animal por ser "teimoso" e declarou que estava "fora de si", mas que estava arrependido.

Além da condenação, o réu também terá que pagar os custos do atendimento veterinário, cerca de R$ 700, e 70% dos honorários da advogada nomeada para o caso.

Zeus foi adotado e continua em tratamento por causa das agressões. A cegueira nos dois olhos é irreversível, mas o seu faro foi recuperado.

O homem foi levado para a Delegacia de Ilha Solteira e, depois, transferido para a Cadeia Pública de Pereira Barreto.


Receba notícias de Ilha Solteira pelo Whatsapp

Quer receber notícias no seu celular sem pagar nada? 1) adicione este número à agenda do seu telefone: 18 99132-5461; 2) envie uma mensagem para este número por WhatsApp, informando seu nome

 

O www.ilhadenoticias.com não autoriza a reprodução parcial ou integral deste texto

Os comentários postados neste texto são de inteira responsabilidade do seu autor, já que estão diretamente ligados a sua conta no facebook

Google+