ilhadenotícias - #anuncie!
whatsapp

(18) 99132.5461

Os retornos da Avenida Brasil devem ser reabertos?

Sim - 72.9%
Não - 27.1%

Total de Votos: 328
The voting for this poll has ended ligado: 11 Mar 2018 - 00:00

Por ajudar em fuga, Polícia prende primo de acusado de matar universitária

Douglas Cossi Fagundes
Da Redação

Carro usado por acusado foi encontrado na Fazenda Lagoinha

 

A Polícia Civil prendeu na noite desta segunda-feira (9), a prisão do primo do acusado de matar a universitária Maria Julia Martins Quintino da Silva na tarde de hoje, à facadas, na viela de 400 do Passeio Batalha. Ele teria ajudado na fuga do assassino.

O primo estava na Delegacia desde o meio da tarde, depois que a Polícia o encontrou na Fazenda Lagoinha, na zona rural de Ilha Solteira, com o carro utilizado pelo acusado para cometer o crime.

De acordo com a Polícia Civil, depois de ter matado a universitária, o acusado foi até o assentamento “Estrela da Ilha”, onde mora. Lá, ele teria sido pego por esse primo e levado até a Fazenda Lagoinha, onde parentes trabalham. “Ele foi preso por participação no homicídio. Qual foi a participação dele? Ele ajudou o acusado na fuga”, disse o delegado Miguel Rocha.

O delegado também disse que o primeiro confirmou que transportou o acusado, mas desconhece onde ele estaria escondido.


O crime - A universitária Maria Júlia Quintino da Silva, de 17 anos, ingressante no curso de zootecnia, da UNESP de Ilha Solteira, foi morta à facadas no início da tarde desta segunda-feira. Ela era de General Salgado. A suspeita é de crime passional, praticado por um ex-namorado, que continua sendo procurado pela Polícia.

Segundo apurou o ilhadenoticias, o suspeito esperou a universitária na esquina entre a viela de 400 do Passeio Batalha e o Passeio Colinas, onde a atacou com uma faca. Ele deu vários golpes na estudante, atingindo, principalmente, sua costa e pescoço. Ela não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

O suspeito, que é de Ilha Solteira e residiria no assentamento Estrela da Ilha, teria tido um relacionamento com a vítima, encerrado há alguns meses. Não há informações sobre a duração.

O acusado também teria deixado um cartão junto ao corpo, mas o conteúdo não foi divulgado pela Polícia.

Delegado Miguel Rocha


Receba notícias de Ilha Solteira pelo Whatsapp

Quer receber notícias no seu celular sem pagar nada? 1) adicione este número à agenda do seu telefone: 18 99132-5461; 2) envie uma mensagem para este número por WhatsApp, informando seu nome

 

O www.ilhadenoticias.com não autoriza a reprodução parcial ou integral deste texto

Os comentários postados neste texto são de inteira responsabilidade do seu autor, já que estão diretamente ligados a sua conta no facebook

 

 

Google+