O mais acessado!
whatsapp

(18) 99132.5461

A saída dos médicos cubanos está comprometendo o atendimento nas Unidades de Saúde de Ilha Solteira?

Sim - 58.9%
Não - 41.1%

Total de Votos: 56
The voting for this poll has ended ligado: 30 Nov 2018 - 00:00

Em rara aparição pública após doença, Edson Gomes acompanha Otávio em agenda em São Paulo

Douglas Cossi Fagundes
Da Redação

Claudemir Alves (diretor de Cultura), vereador Ricardo Casagrande, Edson Gomes, Bia Doria (primeira dama do Estado), governador João Doria, vereador Emanuel Zinezi e prefeito Otávio Gomes 

 

O prefeito afastado Edson Gomes (PP) acompanhou o filho, o prefeito interino Otávio Gomes (DEM), durante agenda em São Paulo. Foi a primeira aparição pública dele, desde que ele foi internado em outubro.

 

Edson acompanhou o filho em cerimônia realizada na noite desta quarta-feira (29), no Palácio dos Bandeirantes, onde o Governo do Estado declarou Ilha Solteira como “Capital Cultural 2020”. O título foi pelo governador João Doria (PSDB) e o secretário estadual de Cultura e Economia Criativa, Sérgio Leitão.

Questionado sobre a companhia do pai em São Paulo, Otávio disse que ele era uma “fênix” e estava “feliz”.


Doença – Entre outubro e o início de novembro, Edson Gomes ficou mais de 20 vinte dias internado em São José do Rio Preto, com um quadro grave de pneumonia e sepse, também conhecida como infecção generalizada. Ele foi colocado em coma induzido e teve quer ser entubado.

Após dias em coma, e em estado grave, ele começou a apresentar melhoras no final de outubro, quando acordou e passou a respirar sem a ajuda de aparelhos.

Desde então, o quadro evoluiu positivamente e ele foi transferido para o quarto e deixou o hospital no início de novembro.


Prefeitura - Edson Gomes, afastado do cargo desde outubro de 2017, quando deixou a prisão, aguarda que o Tribunal de Justiça do Estado julgue um habeas corpus, que pode ou não liberá-lo para assumir o comando do Município. A previsão é que isso aconteça em fevereiro.

No último dia 17 de dezembro, por unanimidade, a sexta turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ao julgar um habeas corpus apresentado pela defesa de Edson Gomes (na ação penal por associação criminosa, falsidade ideológica e uso de documento falso), aceitou o argumento de que o prefeito sofre coação ilegal, além de considerar que o afastamento é uma cassação indireta do mandato.

O ministro relator, Rogério Schietti Cruz, disse que “a suspensão do exercício da função pública persistem por prazo exagerado, por mais de dois anos, sem que haja a mínima previsão para o julgamento da ação penal” e que Edson Gomes “não pode ficar à mercê de restrições por tempo excessivo”.

Apesar da vitória, Edson ainda está impedido de assumir a Prefeitura, porque também está impedido de assumir o comando do Município na ação penal sobre possíveis irregularidades na compra de equipamentos de proteção individual para a Prefeitura de Ilha Solteira, durante o seu último Governo. A defesa também entrou com um habeas corpus nesse caso, que pode ser julgado em fevereiro.

Caso consiga nova vitória, ainda há incertezas sobre decisão do mesmo STJ, que determinou a suspensão de seus direitos políticos. Não se sabe se isso já seria aplicado neste mandato.


Siga o ilhadenotícias.com no Facebook clicando aqui e aqui, no Instagram aqui, no youtube aqui e no twitter aqui


Receba notícias de Ilha Solteira pelo Whatsapp

Quer receber notícias no seu celular sem pagar nada? 1) adicione este número à agenda do seu telefone: 18 99132-5461; 2) envie uma mensagem para este número por WhatsApp, informando seu nome


O www.ilhadenoticias.com não autoriza a reprodução parcial ou integral deste texto

Os comentários postados neste texto são de inteira responsabilidade do seu autor, já que estão diretamente ligados a sua conta no facebook

 

Google+